logo3
logotipo
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Recontando Estórias

PostDateIcon Qua, 13 de Julho de 2011 00:00 | PostAuthorIcon Autor: Site OEO | PDF Imprimir E-mail

Artigos
O Pioneirismo de Osasco nos acontecimentos históricos
Morando há quarenta e cinco anos nesta Cidade de Osasco, procurei sempre conhecer a brilhante trajetória deste povo e por uma questão de gratidão a digna acolhida que recebi que me propiciou criar e educar os filhos e alcançar meio século de feliz convivência juntamente com os entes queridos, a esposa companheira de meio século de união abençoada. Os netos testemunham a nossa felicidade, vivenciada no dia-a-dia.
Cronista autodidata que imagino ser, costumo dividir a História de Osasco, em dois períodos distintos que foram protagonizados por dois Antônio, o Raposo Tavares, lendário Bandeirante e o Agu, fundador da Vila, que, em homenagem a sua cidade natal, na Itália, recebeu o nome de Osasco, cuja memória ao fundador, a nossa comunidade é eternamente grata.
É que nestas plagas osasquense, através das águas límpidas do lendário Tietê, partiram as Bandeiras de Raposo Tavares, atingindo na sua epopéia heróica, as bacias dos Rios Paraná, e Amazonas, que mudariam a História Mundial, quando tornou nulo o Tratado de Tordesilhas, assinado no século XV por Portugal e Espanha, cujo objetivo era dividir as terras do Novo Mundo, já descobertas ou por descobrir, entre os dois países.
Traçava-se, então, uma linha reta, que passava aproximadamente, por Belém do Pará e Laguna, um assinado em 1494, seis anos antes da descoberta de Pedro Álvares Cabral, que ao desembarcar no Novo Mundo, já evidenciava-se limites estabelecidos que deixava o Brasil três vezes menor que o atual.
E assim, de modo interinamente, sobre a antiga Fazenda de Antonio Raposo Tavares, que a História conservou através de exemplos de brasilidade, pairando até agora as lembranças de uma época histórica e de um grupo de personagens arrojados que com persistência e arrojo, lutando por um ideal mudaram a história de um continente, de uma nação e de um povo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *